sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

O que é e para que serve um orexígeno?

Não é só dieta para emagrecer não. Tem gente que quer ganhar peso também!

O orexígeno é um medicamento com a função de estimular o apetite. É utilizado em doenças em que a falta do apetite pode comprometer a saúde do indivíduo, como a síndrome da anorexia e caquexia em câncer e em aids, em que a maioria dos indivíduos perdem peso, devido, entre outros motivos, à falta de apetite. Os orexígenos devem ser prescritos depois de ter resultado infrutífera a tentativa de aumentar a ingestão alimentar apenas com a alimentação espontânea.

O mecanismo de ação destas drogas não está muito claro, mas é provável que esteja relacionado com a atividade glicocorticóide. Alguns exemplos de orexígenos são: agentes progestacionais, corticosteróides, que já estão em uso clínico, e pentoxifilina, sulfato de hidrazina, dronabinol, ciproheptadina, metoclopramida, dentre outros, que ainda são objeto de estudos.  

Quais os medicamentos estimuladores de apetite disponíveis para uso clínico no Brasil e suas características?

Os medicamentos orexígenos (estimuladores do apetite) em uso clínico no Brasil são: agentes progestacionais, agentes corticosteróides e derivados. Todos são drogas de primeira linha, ou seja, são a primeira opção para o tratamento da síndrome da anorexia e caquexia em câncer e aids. Fazem parte dos progestágenos, como são chamados os agentes progestacionais, o acetato de megestrol e o acetato de medroxiprogesterona (1,2).

Acetato de megestrol (AM) é um derivado sintético, ativado por via oral, do hormônio progesterona. Este é o medicamento mais estudado dentre os orexígenos. Pode induzir o apetite pela estimulação do neuropeptídeo-Y (NPY), presente no cérebro e secretado pelo hipotálamo, com capacidade de estimular o apetite; e pela inibição de citocinas pró-inflamatórias, como interleucina 1 (IL-1), IL-6 e fator de necrose tumoral-alfa (TNF-alfa). 

Tanto o NPY quanto as IL e o TNF podem levar à caquexia pela diminuição da ingestão alimentar direta ou por meio de mediadores anorexígenos, como leptina e serotonina. Os agentes corticosteróides incluem a prednisolona e a dexametasona. Seus mecanismos de ação envolvem a inibição da síntese ou da liberação de citocinas pró-inflamatórias, citadas acima. Ou seja, estimulam o consumo alimentar e diminuem o gasto de energia.

Bem pessoal, todo medicamento deve ser prescritos e acompanhado por um médico, e com a alimentação certa, também se consegue resultados. A dieta para quem quer engordar não foge da regra e precisa ser equilibrada com carboidratos, proteínas e fibras. E, diferente do que muita gente pensa, sem excesso de gorduras. Só a alimentação, no entanto, não faz milagres. É sempre necessário o acompanhamento de exercícios físicos, principalmente os de musculação. 

Para engordar, é preciso comer mais ou mudar o tipo de alimento consumido. É preciso manter uma dieta hipercalórica e mudar o tipo de alimentação. Mas é importante não sair por aí comendo tudo o que vê pela frente. A regra de evitar alimentos ricos em calorias, mas com pouco valor nutritivo, permanece. Nada de abusos nos restaurantes fast-food, por exemplo. O indicado é consumir uma dieta que forneça os nutrientes apropriados para promover um ganho de peso saudável.

Fonte: Adaptado de Nutritotal.

Um comentário:

  1. Olha quando eu era pequena, tomei muito Biotônico Fontoura com ovo de pata pq minha mãe cismava que tinha que engordar haha
    Mas só foi no finalzinho da adolescência que consegui chegar a um peso "saudável", continuando magra, mas não esquelética como era antes. Consegui isso através da alimentação, comendo a cada 2 horas, e maior quantidade de mais porções, e tbm adicionando leite em pó, aveia, azeite e maisena em muitas prepações.
    Sempre dou essa dica para quem me pede: tem que saber engordar, mas não com alimentos porcarias ;)

    ResponderExcluir

  © Papo Nutricional